5 coisas que você e sua empresa precisam saber sobre ESG e várias dicas práticas

São tantas as siglas que circulam por nossas vidas, não? ISS, IR, IPTU… Chega a dar um arrepio só de pensar no que há por trás delas! Porém, tem uma que era quase desconhecida do grande público, mas despontou como um sol durante a pandemia. É a tal da ESG. E o melhor: ela nada tem que ver com impostos. Ela tem a ver com um novo paradigma e é muito bem vinda. A CoClima está aqui para te ajudar a não perder o bonde!

Por que você cidadão, dono de uma pequena ou média empresa precisa conhecê-la? Em primeiro lugar, para se convencer de uma vez por todas que o mundo está mudando e que quem não mudar junto, vai ficar para trás. Porém, talvez você não precise que te convençam. Precisa apenas entender como participar da festa. Estamos aqui para isso.Por que você cidadão, dono de uma pequena ou média empresa precisa conhecê-la? Em primeiro lugar, para se convencer de uma vez por todas que o mundo está mudando e que quem não mudar junto, vai ficar para trás. Porém, talvez você não precise que te convençam. Precisa apenas entender como participar da festa. Estamos aqui para isso.

ESG é a sigla para Environment, Social and Governance, ou em português, Ambiente, Social e Governança, referindo-se a critérios de boas práticas empresariais relacionados a cada um desses aspectos. Nesse post, iremos te contar as cinco coisas mais importantes que você e sua empresa precisam saber sobre esse tema.

1 – Empresas com estruturas fortes de ESG enfrentaram menos dificuldades na crise

Empresas com ações na bolsa são classificadas de acordo com seu potencial de risco financeiro para os investidores. A própria pandemia da Covid-19 demonstrou como estamos todos vulneráveis ao risco e sujeitos a eventos imprevistos. Para Ricardo Zibas, sócio-diretor de consultoria em ESG da consultoria KPMG, as empresas que se estruturam sobre princípios ESG estão mais preparadas do ponto de vista da gestão para lidar com esses riscos. Por conta disso, seus ativos foram mais valorizados neste período.

2 – Não só as empresas com ações na bolsa que devem se ocupar dos princípios ESG

Segundo artigo na revista Isto É Dinheiro “Integração ESG significa enxergar a empresa de forma holística, analisando tanto seus aspectos econômicos e financeiros, como também sociais, éticos e de sustentabilidade”. Há benefícios muito práticos dessa perspectiva. Assim como um corpo não é a mera soma de seus vários órgãos, o lucro de uma empresa não é indiferente ao bem estar integral da organização. A saúde financeira e a qualidade de vida dos funcionários, por exemplo, são aspectos intimamente relacionados.

3 – A sociedade está de olho e seu olho é verde

Uma pesquisa da Confederação Nacional da Indústria (CNI) divulgada em novembro 2020 mostrou que 94% dos brasileiros se digam preocupados com o meio ambiente (77% muito preocupados e 17% mais ou menos preocupados). Ainda, 95% da população concorda que é possível alinhar progresso econômico com a conservação e 50% dos brasileiros se dizem afetados por algum problema ambiental. A mensagem é clara: nenhuma empresa é uma ilha e não é possível isolá-la dos problemas e anseios da sociedade. Bem pelo contrário. A escolha é simples: abrir os olhos agora ou mantê-los fechados, talvez para sempre.

4 – Visão de futuro

Se hoje o assunto já assumiu certa importância, no futuro ele tende a crescer. De acordo com um especialista da EXAME Research “Esse segmento vai continuar crescendo e ganhando mais representatividade. Os millennials e a geração Z são muito preocupados com o impacto ambiental e social que causamos na sociedade.” Um estudo da empresa E-Consulting aponta que o consumo consciente é a grande tendência pós pandemia. É natural que seja. Segundo a ONU, a própria pandemia é relacionada à degradação ambiental. Infelizmente, as gerações mais jovens tendem a passar por eventos como esse com maior frequência. Algo que era teórico e abstrato no passado, passa a ser muito concreto e pesar cada vez mais em nossas escolhas, inclusive de consumo.

5 – E na prática?

Espero que tendo chegado até aqui nesse texto, você já esteja pensando em como aplicar os princípios ESG a sua empresa, seja ela do tamanho que for. Afinal, você quer crescer e prosperar, não é mesmo?

Para colocar tudo isso em prática, alguém poderia te sugerir contratar uma consultoria. Se você tem processos complexos e está muito aquém do desejado, pode ser uma boa ideia. Contudo, na maioria dos casos, basta um olhar cuidadoso e um pouco de boa informação.

Então, aí vão algumas dicas práticas de como inserir os pilares ESG no dia a dia da sua organização:

  • Preze pela governança ética e transparente da sua organização em termos dos seus princípios norteadores, fluxos decisórios e apresentação de resultados.
  • Inclua os fatores ESG na sua matriz SWOT (de forças, fraquezas, oportunidades e ameaças) de planejamento. Novas regulamentações impactarão negativamente os negócios do tipo “mais do mesmo” (business as usual), mas muitas oportunidades beneficiarão os inovadores.
  • Reveja os processos de consumo de energia, água e matérias primas. Busque formas de aumentar a eficiência e reduzir desperdícios. Considere o uso de materiais renováveis e/ou biodegradáveis nos seus produtos e/ou embalagens.
  • Examine também os processos que implicam descarte de resíduos, liberação de poluentes e emissão gases do efeito estufa (GEE). As emissões de GEE não passíveis de redução podem ser compensadas ou neutralizadas. Há diversas opções para fazer isso, mas uma bastante prática e barata é a compensação no ato da venda de produtos ou serviços, como realizado pela CoClima.
  • Dê atenção aos relacionamentos com fornecedores, parceiros e funcionários. Não descuide da qualidade de vida, da inclusão e da diversidade dos seus colaboradores.
  • Conduza um processo de incentivo ao intra-empreendedorismo e à inovação entre os colaboradores visando à otimização dos fatores ESG.
  • Considere seus investimentos com base em uma visão progressista do futuro e da tecnologia e prepare-se para ser uma empresa referência em boas práticas.
  • Alinhe seus funcionários em torno à cultura da sustentabilidade e recompense-os de acordo. Empresas que prezam pela ética e por uma imagem positiva costumam atrair e reter os melhores talentos.
  • Comunique tudo isso aos seus clientes. Eles vão adorar saber que podem contar com você!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *